quarta-feira, 11 de maio de 2011

COITADA AMANTE, por Lili


Eu, Lili, na poltrona de um Boeing, que me traz de volta do Rio para Brasília, no meio de um feriado, estava conjecturando: primeiro, porque voltar na sexta-feira, se poderia curtir o final de semana na Cidade Maravilhosa? Segundo, qual seria a melhor história policial para iniciar o Blog da Policial Feminina?
Bingo! “O Caso da Amante” será fidedigno.






Venham comigo!
A noite estava adiantada em mais um plantão de 24 horas na Delegacia, quando o rádio nos comunicou ocorrência de um grave acidente de trânsito.
Eu e um colega Policial, o Geraldo (os nomes serão fictícios) entramos na viatura - luzes e sirene ligadas – e rumamos para o local. Era uma pista de alta velocidade, com várias faixas e os veículos colidiram violentamente.
Uma equipe do Corpo de Bombeiros já havia socorrido as vítimas quando chegamos. Mas, meu astuto colega - que nada deixa passar - me chamou a atenção no sentido de que o acidente fora gravíssimo, mostrando-me certa quantidade de massa encefálica esparramada no asfalto negro, além do que o veículo se transformara numa geringonça.
Qualquer ocorrência que seja fatal recebe atenção ultra especial. E nossa missão naquela madrugada seria esclarecer as circunstâncias do acidente: testemunhas do fato,  ingestão de bebida alcoólica, se houve culpa...
Todavia, naquela noite gélida, só restou carros indo e vindo em alta velocidade, além dos destroços no asfalto.
Entramos em contato com o Corpo de Bombeiros, quando fomos informados de que havia dois passageiros no interior de um dos veículos, mas apenas um homem fora socorrido ao hospital. Havia uma mulher que saiu ilesa.
Essa mulher desapareceu.
No próximo Plantão, minha colega, a Cláudia (nos três anos que compartilhamos a mesma equipe sempre fomos unidas, prestativas e grandes amigas), falou numa roda de conversa:
- Lili, lembra-se do acidente com morte, cuja única testemunha de um  veículo desapareceu?
Respondi que lembrava.
Cláudia: - Descobri porque ela saiu do local: era amante do motorista que faleceu.
Naquele instante, um turbilhão de pensamentos me invadiu. Achei um ato corajoso. Pensei no desalento daquela mulher ao ver o seu homem desfalecido. O romance seria cálido ou discutiam no momento do desastre?  Ó, sim, digna mulher, protegeu a reputação de seu homem, deixando o local, mesmo no momento da dor e da perda. Com esses pensamentos falei alto:
 – “Coitada da Amante.”
Cláudia, que é casada e têm filhos, começou a espezinhar a moça, dizendo:
- O quê, Lili, deu para proteger amantes agora? Afinal, de que lado você está?
Confesso que não compreendi a surpresa da colega, para mim seu comentário foi desproposital. Envolvimentos afetivos fora do casamento fazem parte das coisas mundanas. Luxúrias a parte, eu defendi a atitude da mulher.
A questão é que para mim, naquele instante, não me importou se a moça era amante, namorada, esposa, filha, mas sim uma alguém que se encontrava situação ambígua. Ir ou ficar? Num primeiro momento achei sua atitude sublime, mas, depois, conversando com outro colega, ele questionou se não seria covarde abandonar quem se gosta na hora da morte.
Pode ser um enigma descobrir a quem a gente obedece. Quem comanda o ir ou o ficar?  se o desejo, a coragem ou o medo.
Por Lilian Angelotti

Glossário:
 
fidedigno adj.adj.Digno de todo o crédito.

desalento s. m.Falta de alento; esmorecimento, desânimo.

cálido (latim calidus, -a, -um, quente, arrebatado) adj.adj.1.     Quente.2. Ardente.3. Sanguíneo!Sanguíneo.4. stuto.

 Espezinhar v. tr.1. Calcar aos pés.2. Fig. Humilhar, vexar, desprezar; oprimir.

luxúria (latim luxuria, -ae, exuberância, excesso) s. f.1. Viço dos vegetais. 2. Lascívia, sensualidade.

sublime adj. 2 g.adj. 2 g.1. Muito alto.2. Perfeitíssimo.3. Majestoso.4. Excelso; que fica acima de nós.5. Poderoso.6. Grandioso.7. Esplêndido; encantador.s. m.8. O belo; o máximo da perfeição, da beleza (nas obras artísticas); estilo sublime.



14 comentários:

  1. Gostei do blog e das duas histórias contadas. Quando me lembrar de uma boa, mandarei pra vc.
    Beijão. Greice.

    ResponderExcluir
  2. Que bom que gostou do Blog, suas histórias serão bem vindas. Bjão amiga

    ResponderExcluir
  3. muito boa reflexão!!! Parabéns pela iniciativa!

    ResponderExcluir
  4. Gleisinha, obrigada pela força. Saudade do cê!

    ResponderExcluir
  5. Oi, Lili!
    Parabéns pelo blog! Gostei muito da matéria Coitata Amante! Ela nos faz pensar em como rapidamente concluimos e julgamos a partir de cenas sem, contudo, conhecermos os sentimentos dos seus personagens...
    Cacá.

    ResponderExcluir
  6. Carine minha amiga querida, sua opinião é realmente muito importante. Traga suas ideias para O Blog. Beijo da Lili

    ResponderExcluir
  7. li a matéria. Achei
    maravilhosa. Você teve muita argúcia e inteligência
    para captar o dilema daquela situação.
    M.

    ResponderExcluir
  8. Esse blog é um barato, adoro vir aqui ler os contos verídicos.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  9. Que bom que está gostando de nossas historinhas reais. Abraços

    ResponderExcluir
  10. Está muito bacana o blog. Lilian, eu que lhe atendi na loja ontem, entrei, viu?!!
    Já estou seguindo!! Adorei, e os casos gente como assim o noivo foi preso bem no dia do casamento hehe.
    Parabéns.
    COnheça o meu, ainda não temos da loja Zuria, temos o facebook apenas, mas temos da nossa loja de presentes www.marcantte.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Muito boa a sua narrativa. Parabéns novamente.
    IR OU FICAR??!
    Na minha opinião ela fez o certo.
    Quantas ocorrências são registradas ambiguamente para preservar casamentos. E olha que em abordagens nas madrugadas da vida e em balcão de delegacias há muitos "causos" que quem sabe vamos contando aos pouquinhos...

    .

    ResponderExcluir
  12. OBRIGADA PELO ELOGIO AO NOSSO BLOG.
    E SE TIVER ALGUMA IDEIA DE CAUSO QUE QUEIRA COMPARTILHAR VAMOS ADORAR. ATÉ MAIS!

    ResponderExcluir
  13. Esopo, pois vc achou certo ela sair de cena, mas amigo disse que seria errado abandoná-lo a beira da morte... Foi bem difícil achar um desfecho para o texto... Abraços e até Breve!

    ResponderExcluir