domingo, 2 de outubro de 2011

Cachorros na Delegacia, por Lili

Veja só, quem imagina que na delegacia só lidamos com o crime se enganou, especialmente nas cidades menos violentas, é praxe chegar muitas confusões.  

Vejam esta comigo:

Manhã de domingo de Plantão – a mais tranquila da semana - eu estava no balcão da DP do Núcleo Bandeirante e, num repente, se aproximou um rapaz trazendo seu cão labrador pela guia. Estava atônito, vermelho, descomedido, segurava uma folha de papel na mão e esbravejava que estava dentro da lei e que ele e seus amigos tinham o direito de adentrar qualquer estabelecimento comercial...


 Nesse momento, alguns homens e mulheres, todos também trazendo cães pela guia, encheram o hall da Delegacia. Eram muitos falando ao mesmo tempo e poucos agentes presentes.  O caso já era meu, que dei o primeiro “bom-dia”.

Por fim, mas não por último chegou o dono do restaurante de onde toda aquela galera saíra. Seus olhos estavam assustados, quando furioso me explicou:

- Senhora policial, eu chamei a polícia. É um absurdo, essa cambada que está aqui adentrou o meu restaurante para almoçar, carregando toda essa quantidade de cachorros. Eu os proíbo, é antigiênico e irá assustar os outros clientes.

E continuou: -Eles estão dizendo que são cães para cegos, mas dá para perceber que eles enxergam muito bem.

Pedi silêncio e perguntei ao primeiro rapaz que entrara com o cão, e que parecia ser o líder dos demais, o que ele tinha a dizer:



- Pois eu já expliquei para esse senhor aí, mas ele se nega a entender e respeitar a lei. Somos um grupo de cuidadores voluntários de cães-guias da raça labrador. Os adotamos por um período, até que cheguem à idade ideal para passarem por outro treinamento mais específico para, posteriormente, servirem de cães-guias a deficientes visuais. Estamos estritamente dentro da lei. Além do que, somos orientados a frequentar qualquer estabelecimento comercial na companhia dos cães. Aliás, eles ficam com a gente justamente para isso. Nós ensinamos os animais a frequentar todo e qualquer lugar público para que, no futuro, guiem seus donos desprovidos da visão.
O rapaz apresentou a fotocópia de uma lei que trazia consigo para provar o que dizia e nervoso  continuou:

-  Hoje, combinamos  um encontro dos cuidadores de Brasília e viemos almoçar nesta satélite.

O proprietário, que meses antes tivera outro restaurante multado e fechado pela administração devido a reiteradas ocorrências de som alto, virou para mim e perguntou:

- Existe esse treinamento do qual ele está falando?

Respondi que existia. Já lera algumas reportagens sobre a adoção temporária desses cães por cidadãos e expus a ele o que sabia sobre o assunto.

Depois de algum tempo e muita conversa, proprietário entendeu a situação. Mas, mesmo assim, afirmou que iria voltar para sua terra porque em Brasília era complicado demais trabalhar. Ele pediu desculpas aos cuidadores e estes decidiram almoçar em outro local.  Antes de deixar a DP, ele virou para mim e disse:

- Mas a senhora deve concordar comigo que não precisavam ser tantos cães de uma só vez, não é verdade?

Sorri... amarelo.
Lilian Angelotti
 agente da PCDF




7 comentários:

  1. Material para se escrever um livro.O histórico profissional de um charlie plantonista aqui no DF é extenso.Desde cães guias em restaurante a mulher traída que entra na delegacia com faca em punho ameaçando a amante, o marido, o agente, o delegado, o escrivão, e quem mais estiver pela frente!!!Fora os bêbados, os loucos e os cidadãos contumazes a frequentar a DP.São muitos os ''causos''.

    Abraço

    Gustavo Atalaia

    ResponderExcluir
  2. De fato, Gustavo, muuuuitas histórias para contar... Se tever uma quentíssima me fale que publicamos juntos. Apareça sempre!

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  4. eu Lili que postei a de cima... erg

    ResponderExcluir
  5. Pena que aparece muito cachorro e pouca gatinha....hehehehee... brincadeira.... parabéns pela postagem!

    ResponderExcluir
  6. Risos, mas de vez em quando aparece... E, geralmente, por questões trascedentais o famigerado "bom dia" vem "do agente", tô certa? Ou melhor dizendo, não vem do agente, mas vai para o agente. Vc já tirou plantão?

    ResponderExcluir
  7. Não, tirei não.. sempre fui da SRTE, lá o bicho pega mas a gente aparece pouco pro povão e pras gatinhas....heheheh

    ResponderExcluir