domingo, 22 de janeiro de 2012

Agora sim... O Desabafo, por Paty

 Uma revista de veiculação nacional, da qual também sou assinante, abordou o assunto enfatizando o problema que o governador da Capital Federal teria que lidar: além do alto índice de criminalidade e corrupção, iria enfrentar os policiais mais bem pagos do país em greve, cujo período já se tornara o mais longo de todos os movimentos desencadeados pela categoria.

Não perdi tempo. Rapidamente escrevi um desabafo à revista, que lamentavelmente preferiu divulgar na seção Cartas do Leitor um elogio feito às figurinhas que ilustraram outra reportagem, afinal, como já dito: defender polícia não é simpático e encarar a face do real não é lá muito bonito.


Mas divulgo entre nós o que escrevi:
Sobre a reportagem PIOR QUE A ENCOMENDA pág. 103 da revista Veja - edição n. 2245 - que trata da Greve da Polícia Civil. 
O fato de um policial civil em Brasília receber quase o dobro dos valores pagos aos policiais civis de São Paulo, não transforma o salário em ótimo ou ideal. Ao contrário, demonstra que os demais Estados estão colocando seus policiais civis, militares e bombeiros em situação de miséria. 
Alguns são muito bem remunerados em Brasília -  é verdade - porém, a revista esqueceu de ressaltar que salários confortáveis são encontrados no Judiciário, Ministério Público, Câmara dos Deputados e no Senado Federal, onde os servidores trabalham de terno, salto alto, no ar-condicionado e têm o apoio da polícia militar para desempenharem suas funções, que incluem a segurança de alguns bandidos disfarçados de representantes eleitos, podendo para tanto, sim, receber mais de R$14.000 ao mês, além de auxílios creche e alimentação, bem como gratificações que podem atingir os R$6.000,00.

Já a realidade dos agentes da PCDF é bem diferente. Com salários que variam entre R$5.500 e R$8.500, trabalham em viaturas sucateadas, instalações precárias, sistemas inoperantes, falta de pessoal - devido à insistência política por inaugurações de delegacias sem efetivo correspondente e, ainda assim, apresentam o maior índice de solução da criminalidade do país.

O aumento da insegurança não se deve à inércia da polícia e sim pela exclusão promovida pela vigente política social, que empobrece e cria a brutalidade.




Aos que ainda acham que a polícia civil do DF é bem paga, lanço o desafio de viverem com o salário de um agente na primeira cidade mais cara da América Latina e terceira cidade mais cara do mundo, que é Brasília. Vale lembrar que a greve é a única maneira de pleitear uma reposição salarial e esse é um recurso legigítimo e transparente.
O STF considerou legal a marcha em defesa do uso da maconha, mas julgou ilegal a greve de policiais na busca por melhores salários; diante dessa decisão, não tenho mais parâmetros do que seja Justiça. Não há em nossos contracheques caixa dois, negociatas, convênios, ONGs e outros meios que possam virar uma "boquinha".

Por Paty.

6 comentários:

  1. Isso aí, Paty. Infelizmente as pessoas estão se decepcionando com concurso da PCDF. Muitos entram empolgados, dão tudo de si, mas acabam vendo que quanto mais se trabalha, mas problemas arruma. Corregedoria por qualquer motivo...

    Fora a questão de salários. Em princípio o salário parece muito bom, mas basta ver que não se consegue comprar uma kit, em uma cidade satélite, por menos de 150 mil. Que o gasto com combustível (fora a questão do cartel que rola aqui) é muito alto. Que não temos plano de saúde, que não recebemos horas extras, que não podemos ter outro emprego legal. E ainda assim alguns falam que ganhamos bem?

    Enfim, lamentavelmente, a PCDF vai perder muitos bons profissionais, que vão estudar e passar em outros concursos que pagam melhor e que não te colocam em problemas.

    ResponderExcluir
  2. Oi Vitão!

    Foi desabafo mesmo... Gosto da instituição, mas a remuneração é outra coisa, principalmente quando se divulga a falsa idéia de que somos os policiais mais bem pagos do Brasil... eu quero é ser mesmo, meu amigo! Como você disse, eu cá confidencio: já retornei aos estudos! um abraço.

    ResponderExcluir
  3. Impressionante! se a reposição salarial tiver comprovação documental, baseado nos índices ou no DIEESE, o jeito é impetrar mandado de segurança para ter o direito liquido e certo assegurado. O problema é quando haverá o pagamento desse valor caso a categoria seja vitoriosa! Talvez daqui há 40 anos

    STF aceitando marcha da maconha é o pior absurdo do mundo!! Talvez o Judiciário esteja controlando a policia para que ela nao atrapalhe muito as atuações criminosas.

    Sinceramente nunca entendi os privilegios dos entes federados. Na Alemanha e em outros paises europeus, não existem precatórios e o Governo paga em dinheiro as dividas determinadas pela via judicial. Estamos em um regresso moral. Que Deus nos ajude

    ResponderExcluir
  4. Oi Doutor Lázaro!

    Que bom que você sempre participa conosco... Muitos são os direitos, mas efetivá-los é outra história. O Estado, através do sistema legal, está blindado para o imediatismo que é a necessidade de todo e qualquer servidor: o agora! um abraço, Paty.

    ResponderExcluir
  5. Pesquisei algo a respeito do assunto e descobrir que existe no STF um recurso extraordinario 565089 que fala sobre a revisao remuneratoria dos servidores publicos, ou seja, uma correção monetária dos sálarios, que deveria ser feito anualmente mediante lei de iniciativa do chefe do Executivo Federal ou Estadual. Tá no inciso X do art 37 da Constituição Federal.

    O problema é que só há um voto dos onze, que é o do Ministro Marco Aurelio favoravel aos servidores. A questão é que mesmo vcs ganhando talvez vá para os precatórios. Será que alguma entidade da Policia Civil ja abriu processo judicial sobre o assunto?

    qualquer coisa mando uma informação para eles, abraços linda

    ResponderExcluir